WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe está aqui para responder às suas dúvidas.
Seja bem vindo (a)
pro-labore

PRÓ-LABORE SEM MISTÉRIOS – TIRE SUAS DÚVIDAS

Não importa o tamanho de sua empresa, pois  se você faz retiradas mensais para custear suas despesas pessoais, você está utilizando o pró-labore.

Assim, em poucas palavras, o pró-labore pode ser definido como a remuneração para os sócios e empreendedores que exercem a administração da empresa.

Ele se difere do salário, pois o valor é decidido em comum acordo entre os sócios, além disso, ele não garante benefícios como 13º salário, salário-maternidade e FGTS. Cabe ressaltar, que sobre ele incidem obrigações fiscais e descuidar do pagamento desses encargo pode acarretar em prejuízos para os negócios.

Pró-labore e Lucros – Diferencie seus ganhos

Enquanto o salário pago aos funcionários é comumente contabilizado como uma despesa a ser arcada pela empresa, muitos gestores cometem o erro de não incluir o pró-labore nas folhas de pagamento, pois ele, como já apontado, não é considerado um salário.

Mas, ele precisa estar previsto nas despesas da empresa. Ele não deve ser entendido como uma retirada de parte do lucro da empresa.

Entenda da seguinte forma: Você como sócio da empresa poderia ter entrado apenas com o capital e não assumir nenhum atividade direta gerencial e administrativa. Para isso, seria necessário a contratação de um profissional e o salário desse profissional seria uma despesa na folha de pagamento. Essa despesa não seria descontada sobre o lucro líquido que você tem direito. Correto?

Portanto, quando você assume essa função é evidente que você irá precisar receber o pró-labore que fará parte do rol de despesas da empresa. Quando o lucro da empresa for distribuído entre os sócios não haverá desconto de pró-labore, pois ele já foi absorvido no fluxo de caixa da empresa.

Cálculo do pró-labore

Se o pró-labore não é um salário, ele também não tem seu valor regulamentado por normas e portarias externas. Logo, para se chegar ao valor a ser pago aos administradores do negócio, é necessário que todos conversem entre si a fim de decidir a soma que cada um receberá.

Porém, para fugir da subjetividade deste debate, pois decidir o valor que “cada um merece” pode ficar muito mais à mercê de julgamentos individuais do que de um denominador efetivamente justo e que não gere prejuízos à empresa, é preciso determinar alguns norteadores.

A Gaffa contabilidade e já auxiliou centenas de empresas a organizar seu fluxo de caixa  e determinar o valor de pró-labore a ser distribuído entre os gestores, por isso, tem expertise para dar dicas valiosas sobre esse assunto. Vale a pena conhecê-las:

  • O primeiro passo é listar o nome e função de cada sócio, isto é, relacionar de maneira clara o que cada um deles faz, quais setores da empresa estão sob sua reponsabilidade e ainda calcular a sua carga horária média de trabalho;
  • Em seguida, deve-se realizar uma pesquisa para mensurar o valor salarial médio recebido por trabalhadores que desempenham essa função no mercado. Fazer isso evita que os valores pagos sejam muito discrepantes, injustos ou superfaturados;
  • Impostos como Imposto de Renda e alíquotas do INSS incidem sobre o pró-labore. No caso deste último, a alíquota fica em 11% para optantes do Simples Nacional e 31% para optantes do Lucro presumido;
  • É importante lembrar que para além do pró-labore, os sócios também repartem os lucros da empresa entre si. Este é um fator importante, pois se o primeiro for muito alto, o segundo consequentemente irá cair.

Por fim, os profissionais da Gaffa alertam sobre os perigos de uma tática perigosa: há sócios que, para pagar menos impostos, fixam o pró-labore em apenas um salário-mínimo, porém essa atitude levanta suspeitas, afinal, como um profissional que ocupa um cargo tão elevado, ganha tão pouco? Fazer isso pode acarretar em denúncias e processos por fraude.

Outra dica importante do time da Gaffa contabilidade é não esquecer que dos lucros deve ser separado um percentual para reinvestir na empresa e fazê-la prosperar, por isso, é essencial que as contas estejam em dia e os valores sejam bem definidos para estar preparado para as dificuldades que podem surgir ao longo do tempo.

Como vimos, conhecer a legislação e fazer cálculos corretos evitam transtornos futuros para a empresa. Portanto, manter uma assessoria contábil especializada e experiente como a Gaffa Contabilidade é importante para garantir a segurança, transparência e economia que seu negócio precisa para crescer.

Gostou do conteúdo? Então comente e compartilhe! E se precisar de ajuda para organizar as contas de sua empresa, clique aqui.

 

 

imagem: freepik.com

Scroll to top